quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Cobertura do último dia de festival Recbeat 2012

O começo da noite da terça-feira gorda foi de chuva para lavar a alma. Quem abriu os trabalhos no último dia de carnaval no palco do Recbeat foi a atração pernambucana Lucas e a Orquestra dos Prazeres. O grupo percussivo comandado por Lucas dos Prazeres mostrou a diversidade da música percussiva pernambucana para um público ainda modesto.

Em seguida, quem subiu ao palco foi a cantora paulista Cibelle, que fez um show morno para um público muito quente e acabou envolvendo os foliões que queriam mesmo era aproveitar o último dia da folia de momo.

Depois, a cantora Yusa mostrou a música contemporânea cubana e arrancou aplausos da plateia com suas canções muito bem compostas e executadas. A coisa ficou ainda melhor quando a cantora pegou seu instrumento de origem, o contrabaixo, e mostrou sua intimidade e o seu virtuosismo com o instrumento.

Promovendo mais um intercâmbio com o Pará, o Recbeat escalou para a última noite a cantora de 72 anos, Dona Onete, que envolveu o público do festival com todo o seu chamego e simpatia. No palco, Dona Onete fez um ótimo show, acompanhada de nomes promissores da música paraense, como Felipe Cordeiro, Lia Sophia e Luê Soares. No repertório, Onete ainda mandou uma versão de "Não existe amor em SP", de Criolo, fazendo a plateia cantar alto.

Por falar em Criolo, que show foi aquele do paulista? Pode-se dizer que foi apoteótico, que foi bonito, de se arrepiar. Na verdade, foi uma apresentação espiritual totalmente energizada. Ao vivo, o rapper mostrou toda a sua força e comprovou por que é apontado como o novo grande artista da música brasileira. Embalou todo mundo com suas canções do disco Nó na Orelha, que foram cantadas em coro pelo público. Foi, sem dúvida, a melhor apresentação de 2012 e uma das melhores da história do Recbeat. Criolo ainda usou as camisas da banda Devotos, do Alto José do Pinho, e do Estado de Pernambuco, uma homenagem feita de coração, sem querer apenas agradar o público, sem mentira. Era notável que tudo ali era verdade, feito de coração, com toda a sua humildade. Ainda estou buscando outras palavras para definir a apresentação desse grande artista.

Um comentário:

lila disse...

Criolo <3